PRESSÃO-1

De forma surpreendente, na sessão de ontem da Câmara de Americana, a vereadora Maria Giovana Fortunato (PC do B) expôs publicamente um problema pessoal e familiar. Disse que vem sofrendo muita pressão para mudar seu comportamento político, principalmente por parte de seu pai, o empresário José Ricardo Duarte Fortunato. Contendo a emoção, Giovana avisou que não vai mudar sua linha e sua postura.

PRESSÃO-2

“É muito duro para mim trazer isso a público, mas é necessário. Tenho minhas convicções e não vou mudar”, avisou. Giovana faz oposição ao prefeito de Americana, Omar Najar (PMDB), de quem seu pai é amigo há muitos anos.

PRESSÃO-3

Ao revelar essa situação familiar, a vereadora Giovana trouxe à memória de quem acompanha as sessões da Câmara a fugaz passagem política de seu pai, José Ricardo Duarte Fortunato, pela paróquia. Ele foi vice-prefeito de Waldemar Tebaldi que, após sete meses apenas de mandato, tirou Zé Ricardo do governo.

PRESSÃO-4

Dias atrás, em entrevista ao Jornal da Cidade e à Rádio Vox 90, o prefeito Omar Najar lembrou que Zé Ricardo, quando vice, tentou “vender” o Departamento de Água e Esgoto, posição totalmente contrária ao que pensa, hoje, a filha-vereadora.

PRESSÃO-5

Giovana Fortunato reclamou também na sessão de ontem que não consegue falar com o prefeito há quatro meses. Não citou boicote, mas disse que Omar faz “política escura”.

BRAVO

O vereador Odir Demarchi (PR), que também é vice-presidente da Câmara, ficou irritado com o presidente Alfredo Ondas (PMDB) por não ter conseguido se manifestar durante a votação do feriado da Consciência Negra, que acabou caindo. Odir votou contra a mudança para o domingo. Ondas jurou que não ouviu o colega pedir a palavra e colocou o projeto em votação.