CARNE

Depois de ser aprovado em primeira discussão, na semana passada, o projeto 2.a Feira Sem Carne nas escolas e creches municipais de Americana sofreu ontem seu primeiro revés. Após polêmica que não foi levantada na primeira votação, o vereador Odir Demarchi (PR) pediu vistas por conta das dúvidas que a iniciativa apresenta. O pai do projeto é Guilherme Tiosso (PRP), que vem sendo bombardeado, principalmente pelas redes sociais. Até o prefeito Omar Najar (PMDB) reclamou dizendo que muitas crianças só conseguem comer carne na escola.

TROCO

Imediatamente após Odir Demarchi pedir vistas do projeto da carne, Guilherme Tiosso deu o troco no colega e também pediu vistas de uma propositura de sua autoria que cria na cidade a Ciclovia de Lazer. Vários vereadores, inclusive o presidente Alfredo Ondas (PMDB), discordaram da atitude Tiosso, verdadeira picuinha apenas para atacar o autor.

RESTO

Nessa polêmica do projeto 2.a Feira Sem Carne, o vereador Léo da Padaria (PC do B) ficou revoltado com uma afirmação de Guilherme Tiosso, que disse que salsicha é feita de restos de comida. Por ser uma pessoa simples e que sempre se alimentou com salsicha, Léo achou uma ofensa, uma soberba de Tiosso, já que milhões de pessoas comem o produto sem nenhum problema á saúde. Léo se manifestou, criticou e até publicou artigo nas redes sociais.

BOBOS

Também a vereadora Maria Giovana Fortunato (PC do B) reclamou de alguns discursos sobre este assunto da alimentação para as crianças nas escolas de Americana. Sem citar nomes, deixou no ar algo que todos entenderam: precisam checar mais os fatos que ocorrem na cidade. “O povo não é bobo e sabe o que fala quando se manifesta”, disse.

BLITZ

Gualter Amador (PRB) convidou Odir Demarchi para uma blitz nas escolas de Americana para checagem, in loco, da comida oferecida às crianças. “Mas não divulguem a data, senão já viu”, ironizou o petista Celso Zoppi, suplente que ontem assumiu a cadeira do Professor Padre Sérgio.

EXEMPLO

Minutos depois de discutir sobre o consumo de carne pelas criancinhas nas escolas, a Câmara enviou à Sala de Imprensa, onde ficam os jornalistas que cobrem as sessões, um bandeja com salgadinhos. Inclusive esfirras de carne. Nenhum repórter pediu para trocar por alface ou cenoura.

EXTRAS

Duas sessões extraordinárias foram convocadas para discussão do orçamento de 2018 – segunda-feira, às 10 horas, e quinta-feira, meia hora antes da sessão normal.

SEM GRAÇA

A ausência do Professor Padre Sérgio (PT), na sessão de ontem, desanimou Rafael Macris (PSDB). Por dois motivos: primeiro porque ele gosta de espetar o petista e, segundo, porque ele achou melhor não enfrentar o suplente Celso Zoppi que é muito mais experiente e duro nos debates por conta de todo o seu conteúdo político.