1 – Muita coisa já mudou na vida de Campinas nos últimos anos. Só não muda, mesmo, a ferrenha rivalidade entre Ponte Preta e Guarani.

2 – Nos últimos tempos, o Guarani ficou em segundo plano. Caiu para a segunda e terceira divisões do futebol nacional, assim como foi rebaixado até mesmo no Campeonato Paulista.

3 – Enquanto isso, a Ponte se manteve na elite estadual e também no Brasileiro. Só que, depois de tanto tempo, tudo isso, incrivelmente, pode ser invertido.

4 – Claro que ainda restam muitos jogos nos campeonatos nacionais das séries A e B. Porém, a situação caminha para algo improvável para muitos campineiros e para quem acompanha o futebol de perto.

5 – O Guarani, atualmente, após 14 rodadas, lidera o Brasileiro da Série B com 26 pontos ganhos. São 8 vitórias, 2 empates e 4 derrotas. Logo mais recebe o Ceará e pode chegar aos 29 pontos.

6 – Já a Ponte Preta vem caindo na classificação da Série A. Ocupa, hoje, a 16.a colocação, ou seja, é o primeiro time acima da zona de rebaixamento, com míseros 15 pontos obtidos em 14 partidas. Destas, a Macaca venceu 4, empatou 3 e perdeu 7.

7 – Se falarmos em desempenho percentual, a diferença é brutal. O Bugre tem 61% de aproveitamento, enquanto a Ponte apenas 35%.

8 – Como disse lá em cima, tudo isso pode mudar pois as duas equipes ainda têm um caminhão de jogos até dezembro. Mas existe sim a chance de inversão – de, em 2018, o Guarani voltar à elite brasileira e a Ponte cair para a 2.a Divisão.

9 – Bismark, meia valoroso do Rio Branco, fraturou a tíbia no último sábado em lance do jogo contra o Taboão da Serra, pela Copa Paulista. Não deve jogar mais este ano. Mas uma mensagem do diretor Eder Duarte nas redes sociais foi importante. Ele será assistido totalmente pelo clube.

10 – Por sinal, daqui a apenas 17 dias, o Rio Branco completa 104 anos. Com 99% da cidade virando as costas para o glorioso Tigre.