O Sinditec – Sindicato das Indústrias de Tecelagem, Fiação, Linhas, Tinturaria, Estamparia e Beneficiamento de Fios e Tecidos de Americana, Nova Odessa, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré está promovendo uma ação contra os incessantes e abusivos aumentos da taxa do GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) praticados às indústrias. Somente no segundo semestre deste ano foram seis aumentos em quatro meses: Julho 8%, Agosto 7,2%, Setembro 2,79% + 2,5% + 7,9% e Novembro 6,5%, com um total acumulado em torno de 35%. O Sindicato está solicitando a vereadores, prefeitos, deputados, governador, senadores, Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção), CNI (Confederação Nacional da Indústria), Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e a diversos outros sindicatos patronais, a participação por meio do envio de cartas de apoio a este movimento, para que o Sinditec entregue juntamente com sua carta de repúdio à presidência da Petrobrás (Petróleo Brasileiro S.A.) e ao Presidente Michel Temer. “A concorrência desleal que o setor têxtil brasileiro vem sofrendo em virtude das importações desenfreadas de produtos asiáticos, já extingue qualquer possibilidade de competitividade, e com estes aumentos cada vez mais extrapolados, muitas empresas estão fechando as portas, pois não conseguem repassar os custos a seus clientes, tornando inviável sua manutenção e funcionamento”, destacou o presidente do Sinditec, Dilézio Ciamarro.